Ásia e Oceania alcançam 5,03 milhões de sacas nas exportações de cafés em março de 2022

Compartilhe

Pela primeira vez Ásia & Oceania suplantaram a América do Sul na exportação de café em um único mês

As exportações de todas as formas de café, em nível mundial, exclusivamente no mês de março do corrente ano, totalizaram um volume físico equivalente a 13,16 milhões de sacas de 60kg, o que representa um ligeiro aumento de 4% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Tal aumento é atribuído principalmente aos países produtores da Ásia & Oceania que, pela primeira vez, romperam a barreira dos 5 milhões de sacas exportadas em um único mês, com 5,03 milhões de sacas vendidas, as quais representam um crescimento de 19,4%, na comparação com o total exportado por essa região no mês de março do ano anterior.

<\/div>

Vale destacar ainda que com essa performance os países produtores de café da Ásia & Oceania pela primeira vez também suplantaram a América do Sul, que ocupava essa posição desde abril de 2018, em volume de exportações em um único mês. Convém salientar que esse aumento expressivo, em grande parte, deve ser creditado ao Vietnã, segundo maior produtor de café do mundo, logo após o Brasil, país asiático que exportou 3,62 milhões de sacas, volume físico que representou um acréscimo de 29,4% das exportações no referido mês.

No mesmo mês de março de 2022, ora em destaque e objeto central desta análise, o volume físico de sacas exportadas pelo México & América Central totalizou 1,91 milhão de unidades de 60kg, o que correspondeu a um decréscimo de 10,1%. A principal razão dessa queda das exportações dessa região foram as vendas ao exterior de Honduras, cujos embarques em março deste ano caíram 22%, de 808 mil sacas para 630 mil, e, também, do México, que caíram 9,3% em março de 2022, de um total de 366 mil sacas para 332 mil sacas, na mesma base comparativa.

Neste mesmo contexto, as exportações de café da África diminuíram 3,8%, passando de 1,29 milhão de sacas de março de 2021 para 1,24 milhão de sacas em março de 2022. A principal razão da queda das exportações desse continente no mês de março de 2022 é atribuída à Uganda, cujo volume físico vendido aos países importadores teve uma expressiva redução de 16,6%, com 478 mil sacas vendidas, em comparação com 573 mil de sacas exportadas em março de 2021. E a Etiópia teve um ligeiro crescimento (1%) nas suas exportações, que atingiram 230 mil sacas em março de 2022, na comparação com 228 mil sacas em março de 2021. Em contrapartida, as exportações da Tanzânia aumentaram 10,8% em março de 2022, ao atingirem o volume de 116 mil sacas, haja vista que no mesmo mês do ano anterior 104 mil sacas.

Estas análises da performance da cafeicultura mundial sobre exportação, com foco no desempenho do mês de março de 2022, tiveram como fonte de consulta o Relatório sobre o mercado de Café – abril 2022, da Organização Internacional do Café – OIC, o qual está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Para tanto, convém enfatizar que Organização Internacional do Café – OIC considera e agrupa no mundo quatro grandes regiões produtoras de cafés, a saber: Ásia & Oceania, México & América Central, África e América do Sul.

Assim, considerando tal divisão da OIC, resta analisar as exportações de café dos países produtores da América do Sul, no mês de março de 2022, cujo volume físico atingiu 4,97 milhões de sacas de 60kg, desempenho que denota um pequeno incremento nas vendas em relação ao total do mesmo mês do ano anterior, que foi de 4,96 milhões de sacas (0,2%). Nesse caso, merece destaque que o Brasil, maior produtor em nível mundial, exportou 3,77 milhões de sacas em março de 2022, e, em março de 2021, 3,83 milhões de sacas, ou seja, houve um decréscimo de 1,5%. E, ainda, que a Colômbia exportou 1,13 milhão de sacas e 1,12 milhão de sacas, respectivamente, na mesma base comparativa, registrando um pequeno aumento de 1,3%.

Fonte: Embrapa