Banana: Análise associa manejo do solo com o mal-do-Panamá

Compartilhe

LEVANTAMENTO OCORRE EM ÁREAS PRODUTORAS DE BANANA DE SP

Pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente, do Instituto Agronômico (IAC), da APTA/Vale do Ribeira e da Cati/São Bento do Sapucaí realizaram um levantamento dos atributos do solo, em áreas produtoras de banana no estado de São Paulo, que poderiam levar ao desenvolvimento do mal-do-Panamá ou Fusariose (Fusarium oxysporum f. sp. Cubense). Vale lembrar que este fungo reduz os níveis produtivos dos bananais, por causarem a murcha das plantas, rachaduras no pseudocaule, amarelecimento e quebra das folhas.

Fonte: Freepik

No Vale do Ribeira, resultados preliminares indicaram que solos mais ácidos, com baixa saturação por bases ou deficientes de fósforo, cálcio e manganês, podem influenciar o desenvolvimento do patógeno e aumentar sua severidade na planta. Já em São Bento do Sapucaí, os principais fatores determinantes para o desenvolvimento da doença foram os atributos físicos do solo, nos quais, quanto maior a compactação, maior a incidência do fungo.

O estudo deve seguir até o final de 2022, quando as instituições envolvidas esperam divulgar um manual com boas práticas de manejo, direcionadas ao controle do mal-do-Panamá.

original de hfbrasil