Boi magro: Apesar do custo de produção alto pecuaristas ainda podem obter lucro

Compartilhe

De acordo com cálculos do Cepea, as margens dos produtores estão mais apertadas neste ano, mas gestão pode garantir retorno positivo

O setor pecuário está preocupado com os custos elevados do boi magro e da alimentação. Com isso, a atenção dos produtores já está voltada para a produção de boi gordo em confinamento neste segundo semestre. De acordo com cálculos do Cepea, as margens dos produtores estão mais apertadas neste ano, mas ainda é possível obter um retorno positivo.

Segundo o pesquisador do Cepea Thiago Bernardino, a gestão do pecuarista é fundamental para a obtenção de bons resultados.

Fonte: Giro do Boi

“A grande questão está na gestão, tanto para fazer confinamento, quanto na hora de vender um animal. O pecuarista deve ser planejar. O confinamento tem um período de 95 dias, em média, no Brasil, então essa decisão de confinar tem que ser tomada um pouco antes”, pondera.

A atenção na compra dos animais também pode ser um fator importante para a rentabilidade do produtor, segundo o pesquisador do Cepea.

“O milho representa algo em torno de 25% da dieta, sendo que para o boi magro esse volume sobe para 70%. Quando a gente fala da compra de um bom animal, que vai trazer um bom resultado, mesmo com alimentação mais cara eu posso ter um resultado positivo. A compra do boi magro é muito importante nesse momento”, ressalta Bernardino.

Original de Canal Rural