Bovino: Etapas da gestação e acompanhamento do desenvolvimento fetal

Compartilhe

Trabalhar com reprodução exige conhecimentos para acompanhar o desenvolvimento fetal bovino. Esse processo tem impacto direto com a produtividade do setor que encara problemas ligados à fertilidade, abortos e dificuldade para reprodução. Com o crescimento do setor pecuário é ideal que haja investimentos na área reprodutiva dos bovinos de modo que sejam evitadas perdas gestacionais e problemas de saúde. 

O acompanhamento da gestação está diretamente ligado à lucratividade e, por isso, desde a concepção até o puerpério, deve-se investir em cuidados. Realizar capacitações no setor de obstetrícia é fundamental para que médicos veterinários saibam identificar a gravidez, avaliar a anatomia genital e examinar as mudanças no animal.

Neste texto, você saberá como o acompanhamento do período gestacional é fundamental para que não aconteçam abortos ou outras complicações que levam a prejuízos.

Como monitorar o desenvolvimento fetal bovino para evitar perdas?

O desenvolvimento fetal bovino requer um conjunto de ações práticas que visam minimizar as perdas embrionárias ou do feto. Por diferentes razões, como agentes químicos, plantas e drogas tóxicas, questões hormonais, nutricionais, genéticas, cromossômicas, físicas ou miscelâneas, o setor pecuário brasileiro enfrenta prejuízos que poderiam ser evitados com o acompanhamento correto. Dessa forma, com mediações para solucionar problemas e melhorar a saúde da mãe e do animal gestado, grande parte das adversidades seriam controladas. 

Vale destacar que há três períodos da gestação importantes: zigoto, embrionário e fetal. A partir de 45 dias, o desenvolvimento fetal acontece, ou seja, é a etapa em que o feto começa seu crescimento. E para fazer o acompanhamento desse período da gestação, deve-se usar a ultrassonografia, potente exame de imagens que possibilita identificar a evolução do feto. 

As técnicas mais comuns que usam o ultrassom são destinadas ao diagnóstico da gestação e à sexagem fetal, ou seja, verificar a presença do feto e saber qual é seu sexo.

Outro método para seguir o desenvolvimento fetal bovino até antes de parir é a palpação retal. Ao introduzir a mão e o braço no reto da vaca, o médico veterinário consegue verificar a condição da gestação ou anormalidades. Contudo, cabe frisar que a recomendação para fazer o procedimento é após 28 dias da fecundação. 

Fonte: BoiSaúde

Como fazer o acompanhamento?

Como apresentamos, a prescrição do exame de ultrassonografia é fundamental para o desenvolvimento fetal bovino. Por se tratar de um equipamento tecnológico e de alta precisão, seu uso é indicado para controlar a saúde do feto e o crescimento dos tecidos, órgãos e sistemas. Quando se verificam problemas de modo precoce é possível intervir e, em muitos casos, solucioná-los de forma rápida. 

Além dessas indicações, com as imagens do ultrassom é possível saber o tempo gestacional e quando será o parto. Com isso, tanto o veterinário quanto o proprietário podem se organizar de forma a garantir a melhor paridela para a vaca.

Curso de Ultrassonografia na Reprodução Bovina oferece aprendizados práticos para você aprender tudo sobre o desenvolvimento fetal bovino. O equipamento de ultrassom é fundamental para diagnóstico da gestação, contudo exige treinamento para usá-lo e interpretar as imagens.

Original de CTP Cursos Presenciais