Carne bovina: Importações do país podem alcançar o maior nível em 22 anos

Compartilhe

As compras brasileiras de proteína bovina de fora do País (principalmente do Paraguai) devem fechar o ano próxima das 52,1 mil toneladas, 47,21% a frente do que fora observado em 2020.

Quer saber para onde vai os principais setores da pecuária de corte em 2021?

O consultor Yago Travagini, da Agrifatto, aponta os supostos caminhos nesta temporada. A segmento em questão é a “importação de carne bovina”.

Em um ano em que a produção de carne bovina deve flertar com as mínimas históricas, as importações da proteína poderão atingir os maiores níveis dos últimos 22 anos, prevê o analista da Agrifatto.

Os números fortalecidos dos primeiros meses do ano destacam a perspectiva de que as compras brasileiras de proteína bovina de fora do País (principalmente do Paraguai) devem fechar o ano próxima das 52,1 mil toneladas, 47,21% a frente do que fora observado em 2020. Este seria um cenário mais realista das projeções em relação às compras externas.

Fonte: BeefPoint

“Cabe a ressalva de que em todos os cenários já apontam para um crescimento das importações brasileiras de carne bovina”, observa o consultor.

Mesmo no cenário mais negativo, as importações brasileiras de proteína bovina cresceriam cerca de 30%, com um total estimado de 46,05 mil toneladas.

No caso do cenário mais otimista, as compras externas bateriam 65,41 mil toneladas adquiridas, 80% a mais do que em 2020. Em caso de um confinamento desestimulado, esse resultado teria mais possibilidade de ocorrer.

Original de Portal DBO

Fonte: Xpoents Insights