Como identificar e aniquilar os pulgões na plantação

Compartilhe

Como qualquer praga, saber que há pulgões na lavoura não é nada positivo. O pior é que, além dos prejuízos que este invasor sozinho é capaz de causar, ao sugar a seiva da planta ele secreta uma espécie de melado que atrai outras pragas ― como as formigas ― e favorece o surgimento de doenças, como a fumagina. Então, identificar e exterminar os pulgões é uma medida essencial!

Neste post, você vai entender o que pode causar o surgimento desta praga, compreender as consequências dos pulgões na lavoura e verificar quais medidas preventivas são mais eficazes para combater esse inseto indesejado. Acompanhe o artigo e confira em detalhes!

Pulgões na lavoura: como eles são e o que provocam

O pulgão é um inseto muito pequeno, de cor marrom, amarela, preta ou esverdeada. Pode ou não ter asas, dependendo da espécie, e é conhecido por atacar diversos tipos de plantas, como milho, cevada, uva, hortaliças e vários tipos de gramíneas. Por sua coloração e tamanho, passa facilmente despercebido por muito tempo, sendo identificado só quando a infestação já é grande.

Nesta fase, as primeiras consequências negativas da ação dos pulgões na lavoura já devem estar aparecendo e causando prejuízos importantes. Como eles se reproduzem rapidamente, o ideal é prevenir ou manter uma rotina de inspeção constante, de modo a evitar que a situação chegue em um ponto crítico.

A extensão dos danos, porém, vai depender da densidade populacional do inseto e do estágio de crescimento das plantas. Em geral, eles atacam no início da fase vegetativa das culturas, prejudicando justamente o desenvolvimento do produto a ser vendido.

Como já dissemos, além de atrair as formigas, a secreção melada que eles produzem pode desenvolver o fungo conhecido por fumagina. Essa doença se alastra sobre os tecidos da planta, dificultando a fotossíntese, o que, naturalmente, afeta de uma forma agressiva a saúde do cultivar.

Os pulgões na lavoura também causam ressecamento dos galhos a partir das extremidades, amarelamento das folhas e necrosamento da face superior delas, apodrecimento das raízes, redução das folhas e frutos e, por conta disso tudo, declínio rápido das plantas. Para piorar, eles ainda são vetores de diversos tipos de vírus, que podem se alastrar e causar novas dores de cabeça.

É importante dizer, ainda, que aqui estamos tratando especificamente dos pulgões na lavoura, mas esta praga também pode ocorrer em jardins, por exemplo. Então, este é um problema que tem que ser verificado, seja qual for a planta que você tiver.

Sabendo de tudo isso, você já deve ter percebido que esta não é uma praga aceitável de se conviver, não é mesmo? Quer dizer, é preciso tomar todos os cuidados para impedir que os pulgões na lavoura se manifestem. Então, para saber como lidar com este inseto, confira nossas dicas a seguir!

blog bel agro

Como evitar os pulgões nos seus cultivos

Uma informação importante para evitar pulgões na lavoura é que ele pode ser um indício de excesso de nitrogênio no solo. Oportunista, a abundância dessa propriedade atrai o inseto. É evidente que isso não significa que você deve deixar faltar este nutriente, mas é preciso administrá-lo bem, de maneira que ele seja útil para o desenvolvimento do cultivar, sem causar danos.

Com isso, ao fazer a adubação da sua lavoura, é interessante contar com fertilizantes minerais, pois seguindo as recomendações do fabricante é possível fazer a nutrição com mais segurança e certeza de doses corretas. Essa recomendação não invalida, claro, o uso de adubos orgânicos, mas eles merecem uma atenção especial para não provocar a falta ou o estresse da planta com algum nutriente.

O monitoramento frequente da lavoura também é uma ferramenta importante, embora possa se tornar difícil, dependendo do tamanho da área de plantio. Assim, a adoção de controle biológico pode ser uma medida eficaz. Determinadas espécies de vespas, como a Aphidius colemani, A. ropalosiphi, A. uzbekistanus, A. ervi, Diaeretiella rapae, Praon volucre e Ephedius plagiator são eficazes no combate aos insetos invasores.

A adoção de cada um desses animais depende da espécie de pulgão presente na planta, pois cada um atua de maneira diferente em cada cultura. Eles podem ser introduzidos na sua propriedade para que lidem naturalmente com a praga. A consulta de um especialista, neste caso, é primordial. Lembre-se do Manejo Integrado de Pragas: esta é a medida ideal para tratar deste problema.

A cobertura do solo com coentro verde, pó de serra e palha de arroz é indicada, pois são materiais repelentes aos pulgões. No caso do coentro, ele é especialmente interessante por, além de repelir a praga, ainda atrai joaninhas, que são predadoras naturais do pulgão. O controle de ervas daninhas também é indicado.

Soluções à base de sabão com fumo de corda e álcool, confrei ou urtigas, sempre diluídas em água, podem ser aplicadas com regularidade para controlar esta praga. Por fim, o uso de inseticidas também deve ser considerado, especialmente porque esta pode ser uma medida efetiva e duradoura.

Original de Blog Bel Agro