Confira as grandes vantagens da Rotação de Culturas com o Girassol

Compartilhe

Rotação de cultura com girassol: saiba o que é e como essa ótima opção pode te ajudar a recuperar o solo da sua lavoura

Você está procurando uma boa alternativa para iniciar a rotação de culturas na sua fazenda? Que tal o girassol?! 

Essa oleaginosa de ciclo curto é uma excelente alternativa para safrinha nas regiões produtoras de grãos!

A inserção do girassol no sistema produtivo proporciona a diversificação de culturas e de renda, além de aumentar a oportunidade de comercialização.

Confira neste artigo alguns motivos pelos quais você deve investir na rotação de culturas com girassol e como fazer um manejo adequado dessa cultura na propriedade. Confira!

Quando e como o girassol pode ser cultivado

Em decorrência da janela de semeadura mais curta na safra 2020/2021, muitos produtores procuram alternativas além do milho safrinha.

A atitude não ameaça a predominância do milho, que representa mais de 90% da safrinha, mas abre espaço para culturas como o girassol. E ele é uma excelente alternativa de cultura de inverno para a rotação nas regiões produtoras de grãos.

A época de semeadura varia de acordo com a região. No Rio Grande do Sul, a cultura se adapta bem ao cultivo da primeira safra. Já na região Centro-Oeste (maior produtora), adapta-se ao cultivo de inverno (safrinha).

O girassol pode ser cultivado em sistema solteiro, após a colheita da cultura principal (entressafra) ou em consórcio com a cultura de interesse comercial.

Além disso, também pode ser cultivado em associação com outras espécies, como o nabo forrageiro. 

Essa associação aumenta a proteção do solo devido ao maior aporte de resíduos vegetais, reduzindo assim a incidência de plantas daninhas.

Culturas como o girassol passaram a ser mais atrativas a partir da criação do PNPB (Programa Nacional de Biodiesel) em 2004, pois se tornaram mais uma opção de cultivo comercial. 

Por que fazer a rotação de cultura com girassol?

Como se sabe, a sucessão sojamilho safrinha não é, a longo prazo, uma alternativa benéfica para o sistema produtivo.

Com a inserção do girassol na rotação de culturas com a soja, milho e outros grãos, o cultivo pode ser muito vantajoso.

Essa cultura tem baixo custo de implantação e um bom retorno econômico.

Abaixo há alguns benefícios do cultivo do girassol:

  • ciclo curto de produção (90 a 130 dias);
  • seu sistema radicular pivotante permite reciclar os nutrientes do solo;
  • ótima tolerância à seca;
  • absorve mais água e nutrientes;
  • amplas possibilidades em esquemas de sucessão, consorciação e rotação de culturas;
  • melhor aproveitamento da mão de obra da propriedade;
  • produz óleo comestível;
  • tem efeito alopático (inibidor) sobre várias plantas daninhas;
  • tem ampla adaptação a diferentes condições climáticas;
  • cultura de baixo investimento.

Grande parte da planta de girassol pode ser aproveitada. 

sistema radicular pivotante permite a ciclagem de nutrientes do solo, as hastes e folhas têm boa produção de massa verde, as flores atraem polinizadores para as áreas de plantio e os aquênios (principal parte comercializada) são fontes de óleo. 

O sistema radicular do girassol, bastante ramificado e profundo auxilia na descompactação de solos adensados e na absorção de água e nutrientes (Fonte: Michael Palomino, 2018)

Com preços aquecidos e uma grande versatilidade de comercialização, o girassol se apresenta como uma excelente alternativa para a segunda safra (safrinha).

Aspectos importantes de manejo

Ninguém quer perder a lucratividade, seja na safra verão ou na safrinha! 

O girassol é uma cultura que se desenvolve bem na maioria dos solos brasileiros e pode ser cultivado em praticamente todo o país.

Um dos maiores problemas do cultivo do girassol está no estabelecimento e uniformidade das plantas.

A população adequada varia de 40 mil a 45 mil plantas por hectare, com espaçamento entre linhas entre 50 cm e 90 cm. 

Assim, é buscado o estabelecimento de três plantas por metro linear, devendo ser a semeadura uma operação cuidadosa.

Veja alguns cuidados que devem ser tomados na implantação da cultura para evitar perdas.

  • sementes de qualidade e de cultivares adaptados à região;
  • escolha de áreas sem problemas de acidez e compactação;
  • época de semeadura, baseada no zoneamento agroclimático da região;
  • correta adubação;
  • cuidados na semeadura para um bom estabelecimento e uniformidade de plantas.

Outro desafio a ser enfrentado no cultivo do girassol está na pequena quantidade de defensivos agrícolas registrados para a cultura.

Além disso, áreas com alta incidência de aves podem ser alvos de ataques, prejudicando a produtividade da lavoura.

Apesar desses riscos, existe um bom mercado para a venda. A  inserção do girassol na rotação de culturas é uma alternativa rentável e sustentável para a sua propriedade.

Conclusão

O girassol é uma oleaginosa com grande potencial energético. Por isso, é uma ótima alternativa para a rotação de culturas nas regiões produtoras de grãos.

Seu sistema radicular pivotante auxilia na descompactação de solos adensados.

A cultura pode ser utilizada no outono-inverno, na rotação e/ou sucessão de culturas com soja, milho e algodão.

É utilizada na produção de óleos para alimentação humana, para a produção de biodiesel e para produção de farelo para a alimentação animal. Além disso, possui flores que enchem os olhos de todos que se deparam com a cultura.

Agora que você tem essas informações, pese vantagens e desvantagens para cogitar o plantio de girassol em sua próxima safra ou safrinha!

Original de Aegro