Descubra o que é a agricultura 4.0

Compartilhe

A agricultura 4.0 consiste em um conjunto de tecnologias que buscam a otimização da produção e gestão agrícola em diferentes estágios, aprimorando o controle, o monitoramento e a forma de se trabalhar.

Por meio de tecnologias integradas, como softwares e outros sistemas, a produção agrícola tem muito a ganhar. Descubra a seguir tudo sobre essa novidade.

A agricultura 4.0 diz respeito a uma série de tecnologias digitais com capacidade de melhorar a produtividade das propriedades rurais e tornar todo o processo produtivo mais profissional, ajudando na tomada de decisão do produtor rural, otimizando processos e diminuindo perdas nas lavouras.

Se você tem vontade de modernizar a sua propriedade e se colocar ao lado dos maiores empreendimentos rurais do mundo, esse é um ótimo ponto de partida.

Entenda quais são as principais questões relacionadas à prática dessa nova forma de trabalhar no campo e coloque de vez a sua produção no século XXI! Boa leitura!

Agricultura de precisão

Quem trabalha com a terra sabe que em um mesmo terreno pode haver várias condições de solo diferentes, sendo necessários regimes de irrigação, aplicação de defensivos e até manejos distintos.

Muitas vezes, as variações são sutis ou acontecem em áreas pequenas e o produtor não consegue fazer essas diferenciações na prática.

Hoje em dia, é possível ter máquinas que façam esse reconhecimento e até o planejamento do que cada parte da propriedade precisa para ter o máximo de sua produção.

A internet das coisas é a tecnologia que permite ligar aparelhos que não são computadores e celulares à internet. É assim, por exemplo, que funciona um trator automatizado.

Os sensores instalados nesses dispositivos reconhecem o ambiente e coletam dados como temperatura, balanço hídrico, umidade do ar, nutrientes do solo e outros.

Com essas informações precisas, o produtor consegue planejar melhor o que fazer em cada parte da propriedade. Por isso, esse tipo de manejo é chamado de agricultura de precisão.

Robotização

Quando se fala em robôs, muita gente ainda tem a imagem dos filmes de ficção, uma pequena máquina com formas humanóides que seja capaz de fazer tarefas tão complicadas quanto organizar uma casa. Porém, a verdade é que o nosso dia a dia já está cheio de robôs e a esmagadora maioria deles não se parece nada com esse da imaginação.

Os robôs mais comuns são nada mais do que programas avançados de computador capazes de executar tarefas mecânicas e aprender com seus erros.

No campo, a robotização é responsável por um uso mais inteligente dos insumos e por práticas mais responsáveis do ponto de vista ambiental e de saúde pública.

Um dos exemplos da aplicação dos robôs no campo é para a pulverização de defensivos. Em vez dos aviões, agora é possível usar um drone controlado por controle remoto e em comunicação constante com um programa que determina a quantidade precisa de substância a liberar em cada parte da lavoura.

Essa é uma excelente forma de evitar o desperdício e reduzir os riscos associados às atividades de voo e da própria aplicação dos agrotóxicos.

Também já existem tratores completamente autônomos que dispensam a figura do condutor. Eles são igualmente controlados por um programa de computador que guia cada ação da máquina e permite realizá-las com precisão quase cirúrgica.

Por último, um outro exemplo de robôs no campo são aqueles projetados para executar uma tarefa específica, como a remoção mecânica de ervas daninhas.

Mobilidade rural

A comunicação sempre foi um ponto delicado pelos interiores do Brasil e a falta de acesso pode restringir as possibilidades de atuação do produtor.

Afinal, como usar a internet das coisas se na região não há internet nenhuma? Felizmente, o avanço da tecnologia permitiu que os smartphones se popularizaram também no campo.

fonte: freepik

Hoje em dia, um agricultor pode ter na palma da mão ou dentro do bolso todas as informações sobre os últimos anos de produção da sua fazenda, o regime de chuvas na região, o preço das commodities e o que mais ele desejar.

A enorme vantagem disso é que diminuem os riscos de o produtor tomar uma decisão errada apenas por estar enganado sobre um dado a respeito da sua propriedade.

Basta acessar os seus serviços de gestão ou previsão do tempo para confirmar informações e tomar as melhores decisões para a produção com base em dados reais e atualizados.

A integração desses serviços com um GPS contribui ainda mais para um manejo profissional da terra, pois ele sabe exatamente os pontos em que a terra precisa de correção, onde a drenagem não está muito boa ou os trechos em que é preciso aumentar a irrigação.

Análise do clima

Um dos fatores de maior impacto para a produção rural são as variações de tempo e clima. A quantidade e o regime de chuvas, as temperaturas, a umidade do ar, os ventos e fenômenos como geadas e granizo podem prejudicar muito a produção, seja ela de produtos agrícolas ou na pecuária.

Por isso, a análise do clima e do tempo tem sido usada como uma ferramenta para ajudar o agropecuarista em sua rotina de trabalho.

Relatórios com previsões meteorológicas de curto prazo podem influenciar tomadas de decisão, como a aplicação de adubos ou a adoção de medidas para garantir o conforto térmico do gado.

Já as previsões de médio prazo ajudam no planejamento do ano na propriedade. Sabendo qual a estimativa de chuvas, por exemplo, o produtor pode escolher o tipo mais adequado de sementes ou decidir qual tipo de capim forrageira plantar.

Essa compra dos insumos com informações científicas representa a diferença entre a máxima produtividade e uma safra fraca.

Algumas ferramentas e serviços de previsão meteorológica são pensados para o homem do campo. Eles fornecem todas essas informações de um jeito simples e de fácil interpretação.

Gestão do campo

Um dos “insumos” mais importantes que as empresas (de qualquer setor) têm hoje são os dados. Mas, para conseguir ler e interpretá-los, é preciso estabelecer indicadores.

Ou seja, marcadores de desempenho que servirão de parâmetro para monitorar o sucesso do empreendimento.

Para facilitar e tornar o acompanhamento mais preciso, já existem plataformas e programas de gestão voltados para o campo.

Essas ferramentas permitem organizar a informação de um jeito fácil para que depois o produtor consiga tirar conclusões que levaram a mudanças e melhorias nos processos da fazenda.

Quem ainda não está convencido e acha que a agricultura 4.0 é uma realidade que ainda não chegou no Brasil, é melhor repensar.

Atualmente, já existem empresas de tecnologia totalmente brasileiras com foco no campo e as mudanças trazidas pela tecnologia não darão nenhum passo para trás ao contrário, tendem a evoluir cada vez mais. 

Por: Agrosomar com modificações por Raphael Dumont