Frango Sem Hormônios?

Compartilhe

Como é tradicional ocorrer a cada novo Natal, circula nas TVs brasileiras um comercial “vendendo” os frangões propícios ao consumo da época. Nada além do normal, até mesmo em termos de criatividade.

<\/div>

Porém, o que mais chama a atenção no comercial – especialmente para quem vive há tempos o dia a dia do frango – é um “SEM HORMÔNIOS”.

Assim mesmo, em graúdas letras maiúsculas, seguidas de uma informação (presumivelmente, algo do tipo “conforme proíbe a legislação brasileira”) inelegível para o telespectador, mesmo o que tenha uma TV de 100 polegadas.

Mas isso pouco importa, pois o estrago já está feito. Porque, bem antes de adquirir o produto, o consumidor foi induzido a concluir que os “outros” têm hormônios.

Algo que também pode representar “um tiro no pé”: “ah! quer dizer, então, que os demais produtos da empresa têm hormônios?”

Lamentável. E deixa transparecer que tanto o pessoal de marketing como os responsáveis pela aprovação do comercial desconhecem o esforço – dantesco! – que a avicultura desenvolve há décadas na busca por desmistificar o uso artificial de hormônios na produção de um frango.

Citações desse gênero precisam ser definitivamente eliminadas de toda e qualquer publicidade da carne de frango.

A propósito, não custa alertar as empresas que recorrem a esse “subterfúgio” que correm o risco de serem enquadradas pelo Procon. Pois o Código de Defesa do Consumidor estabelece (artigo 37) ser proibida “toda publicidade enganosa ou abusiva”. Como animais e vegetais têm – na-tu-ral-men-te – uma série de hormônios, é natural concluir que afirmações desse tipo são um verdadeiro lesa consumidor. Ou não?

Original de AviSite