Impacto negativo na Agroindústria devido a pandemia

Compartilhe

O mês de abril foi marcado por uma restrição mais intensa na circulação das pessoas, com efeitos no funcionamento de diversos setores econômicos no Brasil.

Infelizmente, a Agroindústria não foi uma exceção.

De acordo com o PIMAgro (Índice de Produção Agroindustrial, do FGV Agro), em abril, a Agroindústria registrou forte queda da sua produção: -16,5%, na comparação com abril de 2019.

O desempenho da Agroindústria foi puxado para baixo principalmente pelo segmento de Produtos Não-Alimentícios, que contraiu em 27,4% (variação interanual).

Porém, em abril, até mesmo o segmento de Produtos Alimentícios e Bebidas teve queda na sua produção (-5,8%) .

Dentro de Produtos Não-Alimentícios houve queda em praticamente todos os setores, sendo que merecem destaque as contrações apresentadas pelos setores de Produtos Têxteis (-62,7%), de Produtos Florestais (-6,0%) e de Insumos Agropecuários (-1,5%).

Por sua vez, entre os setores que compõem o segmento de Produtos Alimentícios e Bebidas, foram observadas dinâmicas distintas: enquanto Produtos Alimentícios conseguiram aumentar sua produção em 6,0%, o setor de Bebidas registrou forte queda (-50,7%).

É importante ressaltar que os dados de Produtos Alimentícios, possivelmente, refletem o chamado “efeito substituição”, ocasionado pela redução (ou expectativa de redução) da renda no curto prazo.

Assim, é possível notar uma queda da produção de produtos com maior valor agregado (como a carne bovina – embora nesse caso, também vale destacar o menor volume de abate ao longo do 1º trimestre), e aumento da produção de carnes mais acessíveis (como carnes de aves e suínas).

Além disso, é possível observar uma retração da produção de laticínios (alimentos mais perecíveis e de maior valor agregado), ao mesmo tempo em que a produção de arroz e açúcar (bens básicos, não perecíveis e de baixo valor agregado) registraram forte expansão.

Fonte: Faemg