Leite: Confira os 4 passos fundamentais de limpeza e desinfecção na ordenha!

Compartilhe

A limpeza e a desinfecção dos equipamento de ordenha é muito importante para prevenir problemas, como altos níveis de CBT no tanque. Mas você sabe como isso deve ser feito corretamente?

O leite é um alimento que possui em sua composição gorduras, proteínas, sólidos, vitaminas e minerais, entre várias outras substâncias.

Durante o processo de ordenha, esses componentes podem se aderir a tubulação de leite e servir como substrato para a multiplicação de microrganismos.

Isto pode acarretar em alguns problemas, como um aumento nos níveis de CBT do tanque.

Por isso, é muito importante realizar a correta limpeza do equipamento após a ordenha, mas você sabe como isso deve ser feito?

Fluxo de limpeza após a ordenha

Em sistemas de ordenha que usam a limpeza por circulação, CIP, o fluxo de limpeza após a ordenha deve ser feito na seguinte ordem:

  1. Enxágue inicial
  2. Limpeza com detergente alcalino clorado
  3. Limpeza com detergente ácido

Além disso, há a necessidade de realizar a sanitização do equipamento antes do início da ordenha

1º passo

O início da limpeza do equipamento deve ter início imediatamente após o final da ordenha, enquanto a tubulação ainda estiver morna.

O enxágue inicial é feito para remover os componentes solúveis do leite. 

Nesse processo é recomendado utilizar água morna, acima de 35ºC abaixo de 50ºC. Essas temperaturas garantem que não ocorram a solidificação da gordura nem a desnaturação das proteínas, respectivamente.

O ideal é que nessa etapa não haja recirculação de água e que ao final do enxágue a água saia límpida.

Foto: Agricultura/Governo do Tocantins

2º Passo

O próximo passo é a limpeza com o detergente alcalino clorado.

Esse produto tem por função realizar a saponificação da gordura nas soluções de limpeza (SANTOS et al., 2019) e também auxiliar na remoção de proteínas.

Para uma boa ação, a água com detergente alcalino clorado deve entrar no sistema de ordenha a 70ºC e sair com a temperatura acima de 40ºC, circulando no equipamento por cerca de 10 minutos.

Além disso, deve-se realizar a correta diluição do produto, a alcalinidade recomendada para a solução é de 250 a 500 ppm.

3º Passo

Por fim, é realizada a limpeza com detergente ácido.

Este produto remove do sistema de ordenha os depósitos de minerais que vieram do leite e da água e formam a popular “pedra do leite”.

A limpeza com o detergente ácido pode ser feita com água a temperatura ambiente ou levemente aquecida (35 a 43ºC) e o produto deve circular por 5 minutos.

Não há necessidade de realizar a limpeza com esse produto em todas as ordenhas, pode-se realizar a aplicação diária (na última ordenha) ou em dias alternados durante a semana.

A solução de detergente ácido deve apresentar pH ≤3,5 para garantir a eficiência da limpeza.

 4º Passo

Além da limpeza do equipamento, ao final da ordenha é necessário também realizar a sanitização antes do início.

Esse processo é realizado a fim de reduzir a contaminação bacteriana.

São usados, principalmente, produtos a base de cloro, de forma que após a diluição em água a solução fique com concentrações aproximadas de 100 a 200 ppm de cloro.

A limpeza correta do equipamento de ordenha garante que o leite seja produzido de maneira higiênica, garantindo a mínima contaminação bacteriana e ainda é benéfica para o produtor, já que reduz os níveis de CBT do tanque e pode gerar bonificação por qualidade.

Original de PRODAP