Mancha Anular do Cafeeiro: Vírus pode afetar plantação de café

Compartilhe

De todos os produtos produzidos no Brasil, é possível dizer que o café é aquele que mais tem relevância e que não pode faltar na rotina do brasileiro, uma vez que já se enraizou na cultura dessa população.

Talvez seja por isso, junto a toda a dedicação, que o Brasil tenha se tornado o maior produtor e exportador de café do mundo, mesmo que tenha ficado em segundo lugar no consumo da bebida, o que ainda é um mistério. 

É importante destacar que o café passa por um longo processo desde a plantação, cultivo, colheita até o preparo.

E é justamente nessas primeiras etapas que ele pode ser acometido por várias doenças, as quais afetam drasticamente o ciclo de vida deste produto tão valioso e singular. 

As principais doenças do café, são:

Essas doenças podem ser causadas tanto por fungos como por bactérias, nematóides e vírus. 

Vale mencionar que, elas também são capazes de reduzir em até 20% a produção, limitando o cultivo do produto, por isso é essencial obter um diagnóstico correto para que o controle seja realizado adequadamente apresentando resultados eficazes.

Designed by Stock Adobe
Designed by Stock Adobe

Ao longo desta última semana, nós do Dia Rural, apresentamos uma a uma, as doenças listadas acima que são as mais comuns em plantações de café.

Hoje iremos abordar e detalhar brevemente, a última delas, a Mancha anular do cafeeiro. 

Mancha anular do cafeeiro – Coffee ringspot virus – CoRSV

A Mancha anular do cafeeiro se trata de uma das doenças mais comuns em plantações de café, e que é causada pelo vírus Coffee ringspot virus – CoRSV, originado pelo ácaro Brevipalpus phoenicus. 

A doença em questão já foi identificada em dados momentos nas principais regiões produtoras de café de todo o Brasil, e pode afetar tanto as folhas quanto os frutos do cafeeiro

No que se refere aos sintomas típicos desta doença, eles podem ser notados através de manchas cloróticas das folhas, em formato de anéis concêntricos.

Já nos frutos, especialmente na etapa de cereja, podem surgir manchas cloróticas, salientes e irregulares. 

Os fatores responsáveis pelo aumento desta virose em campo consistem em períodos prolongados de estiagem e proliferação do ácaro vetor. 

Portanto, o manejo integrado da Mancha anular do cafeeiro, se baseia, principalmente, no monitoramento e controle do ácaro B. phoenicus. 

Por Laura Alvarenga