Milho: Saiba tudo sobre a sua plantação e o seu mercado

Compartilhe

As lavouras de milho no Brasil vêm crescendo em área e produtividade. Isso fez com que o país ganhasse ainda mais espaço entre as nações que mais exportam o grão e registrasse um crescimento na participação em exportações mundiais de mais de 300% em dez anos, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). 

O cenário é ainda de valorização da cotação do cereal no Brasil, que conta com uma demanda forte do mercado interno e externo. A saca do milho atingiu valores históricos em 2020, movimento que permanece em 2021.  
 
Para este texto, convidamos o engenheiro agrônomo e Especialista em Transformação Digital Matheus Sgarbi para uma conversa sobre a lavoura de milho e a importância crescente do cereal para o Brasil.  

Milho: breve histórico do cereal  

O milho está entre as coisas que fazem parte da vida do ser humano desde que o mundo é mundo — é cultivado há pelo menos cinco mil anos, segundo a Embrapa. É que o cereal é extremamente versátil: pode servir de alimento cru e cozido, em uma série de preparos e até em bebidas alcoólicas. Hoje, é matéria-prima inclusive para biocombustíveis.  

Com origem nas Américas, o grão foi levado para a Europa e ganhou o mundo, passando a ser plantado em escala comercial. As lavouras de milho desempenham um papel importante pra a alimentação humana, animal e em uma série de aplicações industriais. 

Tipos de milho  

Grãos de milho 

Há grãos de milho de formas e tamanhos diferentes, o que pode influenciar na aplicação do cereal. O que muda é a estrutura do endosperma e o tamanho do gérmen daquele grão. Existem cinco classes: 

  • Dentado 
  • Duro 
  • Farináceo 
  • Pipoca 
  • Doce 

Cultivares de milho  

O Especialista em Transformação Digital Matheus Sgarbi chama atenção para a importância da seleção de um cultivar adequado. Segundo ele, essa escolha deve levar em consideração as condições ambientais da área, o manejo da cultura e a janela de tempo para a o plantio, além, é claro, do potencial produtivo do cultivar.  

Quando o assunto é a seleção de cultivares, o produtor dispõe de: 
 
Variedades 
Segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas Gerais (Emater – MG), as variedades possuem um custo menor, mas são recomendadas para produtores que utilizam baixa tecnologia. 
 
Híbridos simples 
Ainda de acordo com a Empresa, os híbridos não podem ser replantados e é necessário adquirí-los todos os anos. Os simples são os mais produtivos, contribuindo ainda para a uniformidade da lavoura. A desvantagem aqui é o preço: eles são mais caros.  
 
Híbridos duplos 
Os híbridos duplos têm um custo menor, podendo apresentar uma variação em relação à plantas e espoigas.  

Híbridos triplos  
Os triplos, por sua vez, ocupam um lugar intermediário quando o assunto é preço e potencial produtivo. 

O ciclo do milho 

O ciclo do milho tem início com a semeadura e chega ao fim após o período de senescência foliar, quando, de acordo com Matheus Sgarbi, o grão de milho atinge sua maior massa seca. O que acontece no processo é: 

dia rural
Plantação de milho Fonte: freepik

Estágio vegetativo 

1. Emergência: ocorre cerca de uma semana após a semeadura, quando as primeiras folhas surgem acima da superfície do solo.  

2. Pendoamento: fase decisiva para a lavoura de milho, o pendoamento é o período em que o tamanho das espigas começa a ser definido. Significa que a planta já atingiu a sua altura máxima e é possível ver o último ramo do pendão no topo. 

Estágio reprodutivo 

No estágio reprodutivo, há o embonecamento, quando os cabelos das espigas começam a surgir. Segundo o engenheiro agrônomo Matheus Sgarbi, esse é o momento em que acontece a polinização. De acordo com ele, “quanto mais o pólen conseguir atingir a boneca, mais grãos serão formados, o que pode ser influenciado positivamente pelo vento ou por alguns dias sem chuva, uma vez que a chuva na fase do pendoamento pode lavar o pólen”. O momento é crucial: é quando o número de grãos será, de fato, definido.  

Cerca de 12 dias depois, os grãos incham, período em que o produtor deve se atentar para evitar o abortamento, a redução no número de grãos.  O milho seguirá se desenvolvendo, acumulando nutrientes e formando os dentes, até que a planta atingirá sua maturidade fisiológica.  

As principais pragas do milho 

De acordo com Matheus Sgarbi, engenheiro agrônomo na Syngenta Digital, o produtor de milho precisa estar atento a uma série de pragas, a depender da região. Essas invasoras atacam o cereal ao longo de todo o desenvolvimento da cultura e podem trazem uma série de prejuízos, afetando a produtividade, alerta Sgarbi. Conheça as principais inimigas 
 
Lagarta-do-cartucho ou lagarta-militar: 
O estrago da lagarta-do-cartucho é grande! Ela pode se alimentar de plântulas de milho e raspar as folhas, gerando o sintoma da “raspagem”. Depois, elas se alojam no cartucho do milho e comem as folhas, podendo ainda romper o pendão. 

Lagarta-da-espiga:
O próprio nome já diz! Essa lagarta se alimenta dos grãos da espiga antes que eles atinjam a maturação. O resultado é menos produtividade da área afetada pela praga. 

Cigarrinha-do-milho:
O engenheiro agrônomo Matheus Sgarbi chama atenção para a cigarrinha-do-milho, praga que causado um estrago cada vez maior nas lavouras do cereal. É que ela é responsável pela transmissão dos agentes que causam o enfezamento, uma doença que dificulta a absorção de nutrientes pelas plantas. A contaminação é mais grave quando as plantas se encontram nas fases iniciais de desenvolvimento. 

Percevejo 
Os percevejos também são inimigos importantes do produtor de milho. Para conhecer melhor o percevejo marrom e o percevejo barriga-verdeacesse.

Produtividade da lavoura de milho 

A produtividade esperada do milho 

De acordo com o engenheiro agrônomo Matheus Sgarbi, a cultura do milho tem alto potencial produtivo. E, se por um lado, o valor da saca tem animado os produtores, por outro, a falta de chuvas está provocando sucessivas revisões da safrinha. Com o agravamento da seca, a consultoria AgRural vem reduzindo a sua estimativa para o milho safrinha 2021. 

Como aumentar a produtividade do milho por hectare? 

Um manejo cultural adequado pode ser responsável por aumentar a produtividade de uma lavoura de milho. Nesse cenário, o Especialista em Transformação Digital Matheus Sgarbi destaca as ferramentas de agricultura digital como uma forma de reduzir as perdas na lavoura e alcançar mais produtividade em um mesmo espaço de terra. 

Para ele, o monitoramento digital do Cropwise Protector evita que infestações de pragas saiam do controle do produtor, reduzindo a produtividade da lavoura. A ferramenta é fundamental para uma decisão rápida que favorece um controle certeiro. As análises NDVI oferecidas pelo Cropwise Imagery também podem ser o braço direito do produtor de milho à medida que a planta cresce e torna as entradas no talhão mais difíceis.

As lavouras de milho no Brasil  

As lavouras de milho se espalham pelo país. De acordo com o último Censo Agropecuário, o Brasil tem mais de um milhão e 600 mil estabelecimentos rurais produtores do cereal, que produzem uma média 88 milhões de toneladas de milho.  

O levantamento pontua ainda que Mato Grosso é o estado que mais produz o cereal, seguido pelo Paraná e Goiás. 

Para onde vai o milho produzido no Brasil? 

O Brasil é o segundo maior exportador de milho do planeta, mas não foi sempre assim: historicamente, a lavoura de milho do país se voltava para o abastecimento interno. O cenário começou a mudar no ano-safra 2011/2012, que apresentou um excedente de produção. A cada ciclo seguinte, a participação do milho brasileiro ganhava força. Hoje, o Brasil desempenha um papel importante como fornecedor do grão, especialmente na entressafra dos Estados Unidos. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia, o Brasil exportou mais 130 mil toneladas do grão em abril de 2021. De acordo com a CNA, em 2020, o Brasil exportou o cereal para 90 países. Entre eles, estão: 

  • Japão 
  • Irã 
  • Vietnã 
  • Coreia do Sul  
  • Egito  

O consumo interno também vem em uma crescente, impulsionado, principalmente, pela produção animal. É que o milho é usado na formulação da dieta de aves e suínos. Ainda de acordo com a CNA, em 2020, a demanda interna fez com que 67% da produção ficasse no Brasil. 

Original de syngenta digital