MS: Mais qualidade nos produtos de horticultores e aumento no valor de mercado local

Compartilhe

O quilo do tomate, por exemplo, chega a valorizar R$ 2,20 em relação ao pago pela Ceasa

Com a Assistência Técnica e Gerencial do Senar Mato Grosso do Sul, horticultores de todo o estado estão obtendo melhores preços no mercado local.

Ao oferecer produtos com mais qualidade e durabilidade, como é caso do tomate e do milho, os ganhos obtidos chegam a 65% em relação ao pago pela Ceasa (Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul).

Esse é o tema da matéria de “Mercado Agropecuário” desta semana.

De acordo com levantamento realizado pelo Senar/MS no primeiro trimestre de 2020, diversos produtos oriundos de propriedades assistidas pela ATeG obtiveram valorização acima de R$ 2, em comparação com o preço pago pela Ceasa.

Na central, o quilo do milho verde pago aos produtores chega a R$ 2,33.

Já o produtor atendido pelo Senar/MS consegue até R$ 3,83 o quilo no mercado local.

Outro destaque é o quilo do tomate, pago a R$ 3,40 pela Ceasa, e que pode chegar a R$ 5,64 pago aos produtores assistidos pelo Senar.

“Além da qualidade mais elevada, boa parte dos hortifrutis produzidos com auxílio do programa ATeG é comercializada em mercados locais, que valorizam e pagam mais aos produtores daquela região”, explica o coordenador do ATeG Hortifruti, Dorly Pavei.

“O Senar/MS trabalha com a metodologia do tripé da produção: Quantidade, Qualidade e Escalonamento.

Dentro da Quantidade o foco é aumentar a produção, expandir a área e melhorar a produtividade.

Na Qualidade o foco é o visual do produto, com orientação para melhorar a apresentação do produto e atrair o consumidor.

Já no Escalonamento, o foco é que não falte produto, que tenha produção o ano todo”, resumiu Dorly.

De acordo com levantamento do programa ATeG Horticultura, o atendimento está presente em 808 propriedades rurais de 54 municípios de Mato Grosso do Sul, que receberam, entre janeiro e março, mais de 2,1 mil visitas e 5,6 mil recomendações técnicas.

fonte: CNA Brasil