O uso do biodigestor traz solução ambiental e energética para famílias rurais

Compartilhe

Um instrumento simples e fácil de ser construído em qualquer propriedade rural pode contribuir para diminuir muito ou até mesmo zerar a conta de luz e de gás de cozinha nas propriedades rurais, além de reduzir as emissões do gás metano, um dos principais vilões do efeito estufa. O equipamento responsável por esse quase milagre é o biodigestor, instrumento cuja construção vem sendo orientada pelos extensionistas da Entidade de Autárquica de assistência técnica e extensão rural (Emater-RO) há mais de quatro décadas.

O interesse dos produtores tem crescido, principalmente pelo uso do gás que tanto pode ser usado no fogão, como em substituição ao combustível de motores estacionários da propriedade rural. Em momentos de crise energética, como a que estamos vivendo, com aumentos seguidos na  conta de luz e no preço da botija de gás, as pessoas buscam mais soluções alternativas sustentáveis como o biogás.

Uma das grandes preocupações dos cientistas  e das pessoas com algum envolvimento com as questões climáticas e ambientais, é diminuir ou evitar emissões de gases do efeito estufa. E mesmo quem não acompanha as questões ambientais, está vendo com atenção as notícias que falam da diminuição do nível dos reservatórios das hidrelétricas, forçando o uso das termoelétricas, com o consequente acionamento da bandeira vermelha e aumento nos preços da energia elétrica, motivos suficiente para provocar o interesse das famílias por medidas que ajudem a diminuir o problema ambiental e do bolso.

O biodigestor supre a necessidade de gás de cozinha e até de energia elétrica de uma propriedade rural. Foto: Irene Mendes/EMATER-RO

No município de Ji-Paraná, o extensionista da Emater-RO, engenheiro agrônomo  Jurandir Batista de Mesquita tem demonstrado aos agricultores familiares de sua região a viabilidade de se construir um biodigestor capaz de suprir a necessidade de gás de cozinha e até de energia elétrica de uma propriedade rural com um investimento menor do que se teria com outros sistemas, também sustentáveis, como o uso de placas fotovoltaicas: a conhecida energia solar.

Jurandir explica que o tamanho do biodigestor necessário para cada propriedade vai depender da necessidade energética da família e da capacidade de abastecimento do aparelho. A maioria das famílias usa biodigestores construídos com caixas d’água de dois ou cinco mil litros, e o esterco de uma vaca é capaz de gerar gás suficiente para atender a necessidade de uma casa com até cinco pessoas.

Original de EMATER-RO