25/07/2020

Problemas nos EUA favorecem Soja no Brasileira

Compartilhe

Prêmios da soja brasileira podem subir, pela preferência que a China dará ao Brasil

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a quinta-feira (23.07) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação caindo 1,07% nos portos, para R$ 116,08/saca (contra R$ 114,85/saca do dia anterior). Com isso o ganho acumulado nos portos neste mês ficou em 0,66%.

A T&F Consultoria Agroeconômica aponta que os problemas de produtividade nos Estados Unidos e a escalada de tensão com a China podem favorecer o Brasil. “Conversamos hoje com o editor do Canal ConnectedFarmer (Youtube), que entrevista vários analistas americanos e ele nos disse ‘há muito problema climático’, e é muito difícil que se chegue aos 180 bushels por acre que o USDA está prevendo no milho e também o mesmo para a soja”. O que isto pode significar?

De acordo com os analistas, se isso continuar e se confirmar, muito provavelmente “Chicago irá subir (pelos problemas de produtividade), mas os prêmios da soja brasileira também irão subir (pela preferência que a China dará ao Brasil, pela tensão com os EUA).

Além disso, o dólar voltará a subir um pouco, justamente pela elevação da briga entre EUA-China, embora não tanto quanto esteve neste ano”.

“Voltamos a recomendar dois procedimentos: Plante toda a soja que puder, porque a demanda está atuante; e venda agora para 2021 ou, melhor, fixe o dólar para 2021, 2022 e 2023, para aproveitar as altas posteriores de Chicago e do prêmio”, conclui a equipe de analistas da T&F Consultoria Agroeconômica. 

CHINA

Ainda de acordo com os analistas da T&F, as estatais Cofco e a Sinograin reduziram em grande parte seu ritmo de compra e muitos industriais privados olharam para o Brasil.

Enquanto isso, os prêmios para 2021 no Brasil continuaram a subir – com comprador de março foram de 131 c/bu sobre os futuros de março versus vendedor a 137 c/bu sobre os futuros de março.

“Pelo menos três embarques de 2021 foram negociados na quarta-feira, entre os quais os embarques de fevereiro mudaram de mãos em 158 c/bu sobre os futuros de março, os embarques de março foram acordados em 135 c/bu sobre os futuros de março, e os embarques de julho foram concluídos em 141 c/bu sobre os futuros de julho”, conclui a Consultoria.

Original de Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

gtag('set', {'user_id': 'UA-174356464-1'}); // Defina o ID de usuário usando o user_id conectado.