Produção sustentável da soja de acordo com as diretrizes do mercado externo

Compartilhe

A sustentabilidade agrícola é muito mais do que métodos focados na proteção do meio ambiente, o negócio agrícola também tem que gerar lucro para se manter, garantindo o pagamento de seus colaboradores e os produtos para seus clientes. 

Hoje em dia no Brasil a maior fonte de renda direta na agricultura é a soja, e os mercados compradores, principalmente o europeu, estão requerendo cada vez mais a utilização das boas práticas socioambientais, fazendo com que seja importante os três pilares da sustentabilidade (social, econômico e ambiental) estarem presentes em sua produção.

O nosso país assumiu em 2019/2020 o posto de maior produtor de soja do mundo, assim como também já é o maior exportador, e para que os exportadores brasileiros não tenham prejuízos no futuro com as barreiras não tarifárias, é necessário seguir diretrizes econômicas, sociais e ambientais padronizadas, com a proteção de práticas agrícolas muito mais responsáveis, estabelecidas por compromisso ou acordos internacionais.

Para o fornecimento dos produtos aos mercados mais exigentes, além de terem boa qualidade, é necessário provar que foram seguidos os critérios de boas práticas agrícolas e sociais ao longo de toda a cadeia produtiva. 

Semeadura de soja em Passo Fundo, norte do RS – Foto: Joseani Antunes

Visando ajudar os produtores a Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais (Abiove), junto a outras organizações (Aprosoja e Banco do Brasil, entre outros) estabeleceu o Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira (Soja Plus), destinado a capacitar gratuita e continuamente na gestão sustentável das suas propriedades, tendo como base cinco princípios básicos: 

  • Qualidade de vida no trabalho; 
  • Melhores práticas de produção; 
  • Viabilidade econômico-financeira; 
  • Qualidade do produto e 
  • Responsabilidade social.

Existem outros programas como o Soja Livre (produção de soja convencional), o Programa 3 S (Soluções para Suprimentos Sustentáveis) da Cargill, e iniciativas equivalentes da Bunge, Unilever, Syngenta e Rabobank, que se juntaram com o intuito de promover ações de preservação ambiental, ensinando também como fazer o descarte correto de embalagens vazias de agrotóxicos, demonstrando que é de extrema importância a sustentabilidade estar presente no dia a dia das propriedades.

Com informações do Blog da Embrapa Soja adaptado para o Dia Rural por Marina Dantas.