Produtor Rural: Serviços digitalizados facilita o acesso e gera economia

Compartilhe

Em época de pandemia, a digitalização de serviços ganhou destaque entre pessoas e empresas em todo o país. Essa mudança antecipou a transformação de muitas ações que antes eram tratadas apenas de forma presencial. A novidade se estende aos produtores rurais que agora podem resolver várias situações através do meio eletrônico. Mas esse processo já estava em desenvolvimento, pois em 2019, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) digitalizou 81 serviços, em parceria com a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia. 

De acordo com o coordenador do escritório de processos do Mapa,  Glauber Pereira, existe o Plano Digital realizado pelo Ministério em parceria com a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, com o objetivo de aperfeiçoar os serviços digitais. “Com a pandemia, intensificamos a digitalização de serviços, em um ano e meio transformamos 81 serviços digitais, alguns migraram para o digital e outros nasceram digital,” ressaltou. 

Para este ano, a meta deste ano é digitalizar mais 77 serviços. A iniciativa tem como objetivo apoiar os produtores rurais e manter a produtividade, sendo assim, os serviços digitais já alcançaram mais de meio milhão de pessoas e empresas. 

Além disso, a medida também garante a  redução de custos para esse setor estimada em R$ 43 milhões ao ano e para o Poder Público em R$ 117 milhões ao ano. Por isso, reunimos neste artigo as informações sobre esses serviços e as facilidades ao produtor rural. Acompanhe! 

Como acessar?

O acesso dos serviços digitalizados é feito pelo Portal gov.br, depois, procure pelo menu do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e localize o serviço que você necessita. Também é preciso destacar que foram lançados aplicativos para facilitar o acesso a informações e serviços, além de outras novidades na área de tecnologia, como a plataforma ID Agro, que vai permitir o registro oficial de tratores e equipamentos agrícolas, sem custo para o produtor rural. 

O cadastro de viticultores, vitivinicultores e vinicultores, por exemplo, está sendo feito através do Sistema de Informação de Vinhos e Bebidas (Sivibe), que permite o envio de declarações sobre áreas cultivadas, a quantidade que é produzida na safra e informações sobre o destino da produção.

Setores

Dentre os setores que já possuem serviços que podem ser acessados via internet, está a Defesa Agropecuária onde mais de 20 serviços digitalizados como o e-Sisbravet, que se trata de uma ferramenta eletrônica visando a modernização da gestão da vigilância das doenças dos animais, além do sistema de gerenciamento de estudos epidemiológicos.

A habilitação de médicos veterinários da iniciativa privada para atuação no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal também foi digitalizada, assim como a habilitação de laticínios e cooperativas de leite no programa Mais Leite Saudável. Há ainda a possibilidade de obtenção de crédito de forma simples, através do Programa Nacional de Crédito Fundiário (Terra Brasil). Assim, é possível agilizar o acesso ao crédito rural para aquisição de terras e infraestruturas básicas e produtivas.

Quem atua com a pesca, pode utilizar o pedido de registro para pescador amador pela internet, assim como a habilitação de embarcações pesqueiras para fornecimento de matéria-prima para o processamento industrial de produtos da pesca destinados à União Europeia.

Por Samara Arruda com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento