Programa Balde Cheio é alternativa de renda para Produtores Rurais

Compartilhe

Ampliar a produção leiteira e criar alternativa de renda para pequenos e médios produtores rurais. Esses são alguns dos objetivos do Programa Balde Cheio, metodologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) aplicada pelo Sebrae, por meio da transferência de tecnologia com foco no desenvolvimento da pecuária leiteira em propriedades familiares.

O programa é destinado à capacitação de profissionais de extensão rural e produtores, visando promover a troca de informações sobre as tecnologias aplicadas regionalmente e monitorar os impactos ambientais, econômicos e sociais nos sistemas de produção que adotam as tecnologias propostas.

Como funciona o projeto

  • O extensionista treinado pela equipe da Embrapa seleciona uma propriedade por município, para servir de referência aos demais produtores daquela região.
  • Depois de a propriedade ser selecionada e aprovada pela equipe do projeto, o proprietário deverá responder um questionário que identificará, além de seu sistema de produção, aspectos relacionados à situação socioeconômica da família, bem como questões referentes ao ambiente.
  • A propriedade rural é utilizada como sala de aula para a capacitação e a troca de informações, denominada pelo programa como unidade demonstrativa (UD). A programação inclui aulas teóricas, tanto a extensionistas como a produtores, na Embrapa Pecuária Sudeste e nas propriedades selecionadas.
Fonte: Freepik
  • As UDs devem ter, preferencialmente, as seguintes características: pequeno porte (a partir de 0,5 hectare), familiar (para que não haja interferência no aprendizado das pessoas envolvidas) e atividade leiteira como principal fonte de renda.
  • O produtor de leite que aceitar ser uma UD terá o direito de ser assistido pelos técnicos do programa, desde que cumpra com as seguintes obrigações: realizar, de imediato, exames para detecção de brucelose e tuberculose, descartando animais positivos; permitir que sua propriedade seja visitada por outros produtores e outros técnicos; fazer sempre o que for combinado entre os envolvidos; passar a anotar controles básicos relativos ao clima, às finanças e ao rebanho.
  • A partir da estruturação da propriedade com base nas orientações do projeto, a UD passa a ser uma referência na região.
  • A cada quatro meses é realizada uma visita de um instrutor credenciado pelo programa durante o tempo do projeto (quatro anos), totalizando 12 visitas de acompanhamento.
  • Segundo os dados da Embrapa, até o final de dezembro de 2013, 25 estados brasileiros já faziam parte do Programa Balde Cheio, totalizando 741 municípios e mais de 3.497 propriedades rurais, sendo 565 UDs.

Para adesão ao programa basta entrar em contato com a unidade do Sebrae mais próxima.

Original: Sebrae com modificações por Raphael Dumont