Projetos de Carbono Neutro terão a quantidade de recursos dobradas neste ano no MS

Compartilhe

Mato Grosso do Sul vai dobrar os recursos destinados aos projetos que visam reduzir a emissão de gases de efeito estufa no Estado neste ano. Durante a cerimônia de assinatura de 11 projetos aprovados no edital da chamada da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (Fundect), vinculado à Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), no valor de R$ 4 milhões, o Governo do Estado divulgou que vai destinar mais R$ 4 milhões a nove projetos restantes que estavam em fila de espera. As pesquisas selecionadas visam contribuir para a neutralização das emissões de gases efeito estufa em Mato Grosso do Sul.

<\/div>

O anúncio de mais R$ 4 milhões para projetos de Carbono Neutro foi feito pelo secretário de Infraestrutura Eduardo Riedel, que participou do evento. Com isso, o montante de recursos destinados apenas para apoiar os projetos neste setor será de R$ 8 milhões. “O que motivou o aporte foi a qualidade dos projetos, conhecimento, alta qualidade. A gente desperdiçar isso é uma perda para Mato Grosso do Sul”, afirmou o secretário que destacou que por isso juntamente com o secretário de Produção Jaime Verruck solicitaram ao governador a ampliação desta verba. “Isso gera segurança para nosso desenvolvimento responsável e sustentável”, sinalizou.

O aporte foi comemorado pelo secretário da Semagro, Jaime Verruck. Ele salientou que o Estado tinha uma necessidade muito grande de fazer pesquisa voltada para a sustentabilidade. “Precisávamos identificar, fazer inventário e criar novas tecnologias para o Carbono Neutro. Esta foi a proposta do edital e houve uma resposta rápida das instituições de ensino e pesquisa do Estado. Conseguimos aprovar 11 projetos diferenciados e ficaram 9 em lista de espera, de um total de 20 classificados. Não tínhamos a princípio ideia de dar continuidade neste momento. Mas a qualidade, pontuação e a diversificação destas propostas fizeram com que os R$ 4 milhões virassem R$ 8 milhões”, destacou.

Força diretriz

O secretário Jaime Verruck destacou que este aporte anunciado pelo Governo do Estado na pesquisa estadual mostra a força da diretriz estratégica do Estado. “É um grande passo para a Ciência e Tecnologia. Isso nos permitirá estudar a economia de MS mas com a ciência de MS, pesquisadores de Mato Grosso do Sul que terão retorno de dois anos. Isso consolida mais um passo que estamos dando rumo a estratégia que Mato Grosso do Sul será diferenciado no mundo com seus produtos, nas suas exportações no momento em que se consolidar como Estado Carbono Neutro”, pontuou.

Liberação dos recursos

O secretário destacou que os 11 projetos assinados hoje, já tem os recursos empenhados. “Estes já começam a receber o cartão de outorgas agora. Os demais devem seguir as tratativas normais, o que deve ocorrer em até 30 dias nos casos destas novas outorgas que foram autorizados hoje”, enfatizou.

O edital teve como objetivo selecionar projetos de pesquisa e inovação que contribuam para a neutralização das emissões de gases efeito estufa em Mato Grosso do Sul. A meta é atingir o desenvolvimento sustentável e tornar Mato Grosso do Sul estado de carbono neutro até 2030, o que significa mitigar todas as emissões de gases causadores do efeito estufa dentro do próprio território.

Os projetos assinados hoje fazem parte de pesquisas em instituições como a UFGD,UFMS, Embrapa Gado de Corte, Uniderp, Embrapa Agropecuária Oeste, Instituto Senai de Inovação em Biomassa e UEMS.

O evento contou ainda com a participação da secretário-adjunto da Semagro e presidente do Conselho da Fundect, Ricardo Senna, o diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo Pereira, além de reitores da UFMS e UEMS, e pesquisadores da Embrapa Gado de Corte e Agropecuária Oeste.

Autora: Rosana Siqueira, Semagro

Fonte: Governo do Estado Mato Grosso do Sul