Saiba como fazer o Preparo e o Manejo do solo no cultivo do Café

Compartilhe

O Brasil é, há muito tempo, o maior produtor e exportador de café do mundo, é também o segundo maior consumidor, atrás apenas dos EUA. Dessa forma, se você quer fazer parte desta cultura e investir no cultivo de café, faça um excelente planejamento, do manejo do solo até a pós-colheita no café.

Dessa forma, para atingir o sucesso em produtividade do seu cafezal há a necessidade de realizar um bom preparo e manejo do solo para iniciar o cultivo do café.

Cabe a essa importante etapa proporcionar boas condições para o crescimento das raízes das plantas, promovendo maior volume de solo explorado e oferecendo máxima absorção de água e nutrientes.

Mas afinal de contas, você sabe como é feito o preparo do solo, além de seu manejo inicial para cultivo do café?

Se essa é a sua dúvida, te convidamos a acompanhar nosso artigo de hoje e veja algumas dicas e recomendações para melhor preparo e manejo do solo para o cultivo de café.

PONTO DE PARTIDA: ESCOLHA A ÁREA IDEAL PARA IMPLEMENTAR O CAFEZAL

Como ocorre com qualquer lavoura, o primeiro passo para começar a implantar o café é escolher um local que seja adequado.

Neste sentido, é muito importante evitar fazer a escolha de terrenos que estejam voltados para faces propícias à ação de ventos fortes e frios, já que essa característica é altamente prejudicial às plantas.

Também é recomendado escolher áreas planas ou suavemente onduladas. Além de facilitar a mecanização, o uso de áreas planas facilita o controle de erosão e a proteção durante o manejo do solo.

Porém, isso nem sempre é possível, tanto que cerca de 40% da produção de café brasileira é derivada de áreas consideradas montanhosas.

Já o solo deve ter profundidade mínima de 1 m, não pode ser pedregoso ou excessivamente arenoso, além de ser fértil e apresentar boa drenagem.

Áreas de baixada não são recomendadas ao plantio mesmo que elas apresentem sistema de drenagem artificial.

A área ideal engloba também questões relacionadas à altitude e ao clima.

As exigências climáticas variam de acordo com o tipo de café:

  • Café arábica – altitude entre 450 a 800 m, com temperatura de 18º a 22º C;
  • Café robusta – temperatura de 22º a 26º C e altitude de até 450 m.

A precipitação anual recomendada é de 600 a 1500 mm, com estes volumes sendo suficientes para a cultura desde que bem distribuídas.

PREPARANDO O SOLO: ELE NUNCA SERÁ UNIFORME, EXIGINDO MEDIDAS CORRETIVAS

Mesmo adotando todos os cuidados indicados para escolher um local para a plantação de café, dificilmente ele estará em condições perfeitas, sendo necessário corrigir possíveis erros que possam ser percebidos.

Em um primeiro momento, é recomendado proceder com possíveis casos de erosão do solo. Para isso, recomenda-se passar um trator esteira em toda a área, que é capaz de igualar o terreno, acabando com os buracos e tornando-o mais plano.

Esse manejo irá permitir que a semeadura seja realizada mais rapidamente, além de também facilitar a colheita.

Por: Freepik

Em seguida, o produtor deve cuidar das questões nutritivas relacionadas ao manejo do solo. Por isso é importante fazer uma limpeza superficial da área para retirar todas as impurezas que estão visíveis.

Para melhor preparo e manejo do solo as operações recomendadas são:

  • Aragem;
  • Gradagem;
  • Subsolagem.

Aração: realiza a inversão das camadas do solo

A principal função dos arados é permitir que o solo tenha melhores condições de aeração, além de infiltração e armazenamento de água.

Cabe à aração fazer a inversão das camadas do solo, normalmente realizada na profundidade de 20 cm.

Em áreas em que a correção do solo deve ser feita com calcário, é feito uma aração em área total entre as aplicações. Com ela sendo utilizada para incorporação de corretivos ou material orgânico com o solo.

Subsolagem: rompe camadas compactas do solo

Quando as camadas abaixo de 20 cm estão muito compactadas, há a recomendação de utilizar o subsolador.

Ele rompe camadas compactadas presentes principalmente nas camadas inferiores (abaixo de 20 cm).

Este é um implemento robusto, demandando por isso grande força de tração.

Gradagem: realiza o destorroamento e nivelamento do solo

Logo após a aração ou subsolagem, o solo pode apresentar a formação de torrão.

Assim, para o destorroamento e nivelamento da área faz-se uso da gradagem, na qual o perfil de solo revolvido é superficial, cerca de 10 a 15 cm.

Nesse manejo do solo, um cuidado importante é de não entrar na área quando a ela está úmida, para evitar o “pé de grade”, que é uma camada com 5 cm ou mais de espessura endurecida ou compactada com baixa capacidade de infiltração de água no solo, causando erosão laminar.

A PREPARAÇÃO E MANEJO DO SOLO ESTÃO FINALIZADOS? AGORA É HORA DE PLANTAR!

O solo está devidamente preparado para receber o novo cultivo do café? Então chegou o momento mais importante, a semeadura do café.

Essa operação é feita com o sulcador. Além disso, é nesse momento que o cafeicultor pode adicionar calcário complementar, material orgânico e fertilizantes que ficam próximos às raízes do cafezal.

Para essa operação é preciso tomar cuidado com a eficiência na abertura das covas. Afinal, a orientação dos sulcos deve ser muito bem planejada principalmente para facilitar manejos futuros com maquinários, desde adubação, tratamentos fitossanitários até a colheita.

Para esse manejo do solo, a recomendação é abrir as covas com aproximadamente 30 cm de profundidade e 25 cm de largura. Cada buraco deve ter um espaçamento de 80 cm, que é o suficiente para que um arbusto não interfira no crescimento do outro.

Já o espaçamento entrelinhas é bastante variável, podendo variar entre 2 m até 3,6 m. Na linha, a variação vai desde 0,5 m a até quase 1 m.

Cultivares de porte mais alto e vigorosos, caso do Mundo Novo, exigem espaçamento maior para alcançar maiores produtividades, principalmente em solos de alta fertilidade e com temperatura mais elevadas. O contrário também é válido.

Além disso, a busca por cultivos de café com maior qualidade requer cuidados especiais.

Cabe ao cafeicultor, por exemplo, manter os canteiros úmidos, mas sem ocasionar o encharcando do solo.

Cabe também ao cafeicultor investir em tecnologias, tendo nos softwares de gestão uma recomendação bastante significativa desde o preparo e manejo do solo para cultivo do café.

Um desses softwares é o CHBAGRO, que realiza a gestão agrícola específica para fazendas e permite um gerenciamento totalmente integrado da atividade cafeeira.

O sistema é baseado em mais de 70.000 programas, com dados gerenciados de mais de 600 fazendas em todo Brasil. Ele conecta as áreas operacional e administrativa para uma gestão completa da propriedade.

Por exemplo, quando há o lançamento de uma nota fiscal de compra, automaticamente o sistema gera uma despesa no módulo financeiro, além de automaticamente adicionar o insumo no estoque.

Na medida em que o operador agrícola realiza as aplicações com este insumo, o sistema faz todos os cálculos operacionais e financeiros para informar quanto a aplicação custou em cada fazenda e talhão.

Original de CHABAGRO