Soja: Preço oscila e tem leve queda acompanhando recuo do dólar

Compartilhe

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais baixos nesta quinta, 8, acompanhando o recuo do dólar. Mas as cotações seguem regionalizadas e nominais, com compradores e vendedores ausentes do mercado, travando a comercialização.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu de R$ 168,00 para R$ 167,00. Na região das Missões, a cotação recuou de R$ 167,00 para R$ 166,00. No porto de Rio Grande, o preço permaneceu em R$ 173,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço baixou de R$ 164,50 para R$ 164 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca estabilizou em R$ 172,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca caiu de R$ 165,00 para R$ 164,00. Em Dourados (MS), a cotação permaneceu em R$ 155,00. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 161,00.

Designed by Stock Adobe
Designed by Stock Adobe

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira, 8, com preços em alta. À espera dos números do relatório de abril do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o mercado absorveu os dados de exportação semanal e se posicionou com base em fatores técnicos.

As vendas líquidas semanais somaram 246.600 toneladas, dentro da estimativa do mercado, que era entre 100 mil e 550 mil. O destaque foi o retorno da China como comprador, o que ajudou a sustentar as cotações.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 6,50 centavos de dólar por libra-peso ou 0,46% a US$ 14,15 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 14,09 por bushel, com ganho de 6,75 centavos ou 0,48%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo recuou US$ 2,30 ou 0,56% a US$ 406,80 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 53,38 centavos de dólar, perda de 0,53 centavo ou 1%.

Dólar

O dólar comercial encerrou a sessão com baixa de 1,27%, sendo negociado a R$ 5,5740 para venda e a R$ 5,5720 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,5380 e a máxima de R$ 5,6170.

Fonte: Canal Rural