Soja: Vendas dos Grãos ficam abaixo das expectativas dos produtores

Compartilhe

O preço da saca de soja subiu em grande parte das regiões do país, motivado pelo dólar comercial que encerrou a quinta-feira, 21, em alta de 0,99%. Ao longo do dia, a moeda norte-americana variou entre a mínima de R$ 5,2330 e a máxima de R$ 5,4010. Mesmo sendo um incentivo para novos negócios, as vendas ficaram abaixo do esperado pelos produtores.

Desta forma, foram negociadas apenas 30 mil toneladas de soja em Goiás e outras 10 mil em Minas Gerais. Veja como ficaram as principais alterações de valores em algumas praças ao longo do dia: 

  • Passo Fundo (RS): a saca de soja com 60 quilos passou de R$ 162 para R$ 164;
  • Missões: a saca que antes era R$ 162, também passou para R$ 164;
  • Porto de Rio Grande: o preço subiu de R$ 163 para R$ 165;
  • Cascavel (PR): a saca passou de R$ 165 para R$ 167;
  • Porto de Paranaguá: a saca recuou de R$ 167 para R$ 166 a saca;
  • Rondonópolis (MT): a saca passou de R$ 150 para R$ 151; 
  • Dourados (MS): a cotação seguiu em R$ 155 a saca. 
  • Rio Verde (GO): a saca  subiu de R$ 157 para R$ 160.

Negociações 

Por sua vez, a soja negociada na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT), teve preços mistos na mesma data. Os sinais de recuperação no mercado durante a manhã impulsionaram novas compras: segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), foi registrada a venda de 136 mil toneladas de soja para a China, além de 163,29 mil toneladas para o México. 

A expectativa é de que ao longo desta semana tenha sido comercializado entre 800 mil e 1,7 milhão de toneladas. Os dados ainda serão divulgados. Em contrapartida, na semana passada, o mercado rompeu a casa de US$ 14 por bushel, atingindo os melhores patamares em seis anos e meio.  

Designed by Stock Adobe
Designed by Stock Adobe

No Brasil e na Argentina, as lavouras começam a ser beneficiadas com o retorno das chuvas, mas ainda há preocupação de que a greve dos transportadores argentinos, possa atrasar as exportações do referido país. 

Contratos 

Nos contratos referentes à entrega da soja em grão no mês de março em março, foi registrada uma alta de 0,75 centavo de dólar por libra-peso ou 0,05% a US$ 13,70 por bushel. Para entregas em maio, a cotação foi de US$ 13,68 por bushel, com um ganho de 1,50 centavo ou 0,10%. Veja como ficou os demais produtos: 

  • Subprodutos (farelo) para entrega em março:  recuou US$ 4,20 ou 0,94% a US$ 438,20 por tonelada nos contratos; 
  • Óleo: aqueles que possuem vencimento em março fecharam a 43,43 centavos de dólar, com ganho de 0,89 centavo ou 2,09%.

Exportações brasileiras 

No Brasil, a exportação de soja teve um ligeiro incremento na segunda semana de janeiro, quando foram enviadas ao exterior 17,5 mil toneladas, de acordo com os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. No entanto, as vendas externas de soja do Brasil ainda estão abaixo dos volumes que foram contabilizados no mesmo período de 2020. 

Na época, a quantidade exportada superou 1,3 milhão de toneladas, com média diária de 63,5 mil toneladas, contra média de 1,7 mil toneladas registrada este ano.  Na comparação dos dois períodos, houve queda na exportação em volume que ficou em 98,7%.

Por Samara Arruda