Tamanho do algodoeiro afeta a produção e a qualidade das fibras

Compartilhe

Manejo das plantas com regulador de crescimento pode resolver

Em entrevista, o pesquisador Fernando Mendes Lamas, da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS), fala sobre a importância do regulador de crescimento, especialmente para a cultura do algodoeiro que está em fase de crescimento em diversos estados como Mato Grosso do Sul. Confira.

O que é um regulador de crescimento?

É uma substância sintética que interfere no balanço hormonal das plantas, afetando a síntese e a velocidade de translocação do hormônio giberelina. Esse hormônio é responsável pelo crescimento e multiplicação celular. Quando se aplica o regulador de crescimento, tem-se uma redução na velocidade de síntese e de translocação da giberelina e consequentemente redução na multiplicação e no alongamento celular, o que resulta em plantas mais compactas.

Qual a importância e os benefícios do regulador de crescimento?

No caso específico do algodoeiro, que é uma planta perene, que trabalhamos como anual, com hábito de crescimento indeterminado. Hoje, no Brasil, especialmente no Brasil Central, o algodoeiro é cultivado fundamentalmente de forma mecanizada, inclusive a colheita. Quando não se manejam as plantas adequadamente com regulador de crescimento, elas vão apresentar um porte muito alto que vai interferir negativamente na qualidade das fibras. Além do mais, plantas com porte muito elevado podem ter a sua produtividade reduzida, mas o principal é a questão da qualidade da fibra.

Qual a dose correta a ser utilizada?

A dose correta é extremamente variável. Não existe uma dose padrão. A dose deve ser definida em função da cultivar – hoje, as cultivares disponíveis no mercado têm porte diferente. Se pegarmos a cultivar da Embrapa, BRS 500 B2RF, é uma cultivar de porte alto, eu tenho que usar uma determinada dose. Se for, por exemplo, a FM  911 GLTP, que é uma cultivar de porte baixo, usar uma dose menor. Depende também das condições ambientais, porque o porte é uma característica da cultivar, mas extremamente influenciada pelo ambiente.

A dose também depende do estádio de crescimento da planta. Por exemplo, uma planta que sofreu um ataque de bicudo vai crescer mais que o desejável, portanto tem que usar uma dose maior. Mais importante do que a dose é o momento das aplicações. Entre os primeiros botões florais e as primeiras flores, o algodoeiro apresenta uma taxa de crescimento muito elevada. Então, a primeira aplicação do regulador tem que ser feita no início do aparecimento dos primeiros botões florais. O que a gente recomenda hoje é que a primeira aplicação, no caso de cultivar de porte elevado, seja quando a altura da planta esteja em torno de 30 cm a 35 cm. E para uma cultivar de porte mais baixo a primeira aplicação acontece quando as plantas estiverem com uma altura de 35 cm a 40 cm.

Qual a dose inicial?

A dose inicial recomendada é de 50 g de ingrediente ativo. Hoje, no Brasil, nós temos basicamente dois ingredientes ativos, mas com formulações diferentes. Há produto comercial que tem 50 g do ativo por litro; com 100 g do ativo por litro; e produto comercial com 250 g do ativo por litro. Na primeira aplicação, a gente recomenda, no mínimo, 15 g do ativo por hectare. Para as aplicações subsequentes é preciso monitorar o crescimento da planta. Na maioria dos casos, utilizar doses crescentes.  Como se monitora? Tenho que medir a altura das plantas, principalmente dos últimos cinco internódios, e é com base nisso é que vai se fazendo as aplicações. Tem que monitorar o crescimento das plantas.

Em função da taxa de crescimento é que será definida a dose. O ideal é que essa taxa de crescimento seja inferior a 1,5 cm/dia. Sempre que o algodoeiro estiver crescendo mais do que 1,5 cm/dia fica difícil de se realizar o controle. Recomenda-se utilizar regulador de crescimento até quando acima da última flor, a planta apresenta no máximo cinco nós. Se acima da última flor, da flor mais alta, a planta tem mais de cinco nós, ela ainda está crescendo, então, é preciso usar regulador de crescimento. Se acima da última flor a planta apresenta só cinco nós ou menos, ela já está com a taxa de crescimento bem reduzida. Posso até fazer uma aplicação com uma dose maior para encerrar o ciclo.

Como o regulador de crescimento reage com fungicida e herbicida?

O ideal é que o regulador de crescimento seja aplicado de forma isolada. Com herbicida, no caso seria o glifosato, não se recomenda. Com um fungicida, inseticida até tudo bem. O que se deve evitar são os coquetéis.

Fonte: Embrapa