Veja como a Gestão de Fazenda pode Profissionalizar a Produção

Compartilhe

Imagine uma casa completamente bagunçada e como a dificuldade de encontrar roupas e calçados faz o morador perder tempo procurando pelos objetos. Esse exemplo bem simples pode dar uma noção do que significa uma fazenda sem uma gestão profissional. As informações se perdem e dão dor de cabeça ao produtor, ele pode se esquecer de pagar contas e impostos no prazo e também tomar decisões equivocadas de manejo. “Muitas propriedades usam planilhas em Excel e fazem um trabalho de gestão manual ou, pior, há produtores que não têm nenhuma ferramenta de controle administrativo”, conta o engenheiro agrônomo e economista Marcelo Lagemann, que é CEO da Connectere Agrogestão.

Por outro lado, quando os processos fluem de forma clara e organizada, com certeza fica mais fácil melhorar a gestão do negócio e lucrar mais. De acordo com Lagemann, a informatização no campo é um caminho que profissionaliza muito a gestão. Com o uso de softwares como o sistema +Gestão da Connectere, o produtor consegue acessar todos os dados da fazenda de forma acessível, ágil e intuitiva, visualizando gráficos e relatórios gerados automaticamente, além de lembretes que são enviados por e-mail para monitorar todos os processos. “Quando o produtor busca a nossa tecnologia, o primeiro passo do atendimento é criar uma metodologia de gestão dentro da propriedade, que ajuda o produtor a trabalhar com foco em resultados”, diz Lagemann.

Com mais de 10 anos de experiência no atendimento de clientes da agricultura e da pecuária, Marcelo Lagemann conhece a fundo as dificuldades financeiras e erros cometidos pelos produtores pela falta de ferramenta adequada, confira abaixo as principais dicas do especialista para ficar com as contas no azul. 

1. Dificuldades

Um dos problemas mais observados no campo é a bagunça nas finanças, misturando as contas da fazenda e a vida privada. “Muitos produtores usam a mesma conta bancária para a família e para o negócio e não têm nenhum controle dos gastos pessoais. Mas o dinheiro que está na conta é da fazenda, não está disponível para gastos particulares. A transparência nas informações bancárias é um ponto importante para os sócios da fazenda e consequentemente para o negócio”, alerta Lagemann. “Para profissionalizar o caixa, o sistema +Gestão faz todo o processo de conciliação bancária e monitora os gastos da atividade rural e as retiradas pessoais.”

Outra dificuldade trivial prejudica o controle dos insumos como defensivos e fertilizantes. “Precisamos trabalhar a questão comercial, para organizar todo o processo de compra de insumos”, afirma Lagemann. “Infelizmente, é comum ter problemas nos estoques. O produtor pode achar que tem um produto mas ele já acabou ou então tem os insumos em estoque mas se confunde e compra mais produtos sem necessidade. Se você não organiza as informações, o custo dessa bagunça pode sair caro.”

Fonte: r3solarcell

2. Custo de produção

Para ser bem-sucedido em qualquer negócio, o empresário deve saber quanto custa produzir e por quanto vender. No entanto, no agronegócio esse importante pilar ainda é negligenciado. “A maioria dos produtores por não usar uma ferramenta adequada não sabe o custo de produção e não faz um bom planejamento da safra. Uma dificuldade é que ele acaba vendendo a produção quando precisa de dinheiro para pagar as contas e muitas vezes não aproveita os melhores momentos de comercialização no mercado”, conta Lagemann.

Quando o produtor planeja o fluxo de caixa e provisiona antecipadamente os recursos para os pagamentos, acaba organizando as finanças da fazenda. Ele passa a ter flexibilidade para fazer as melhores escolhas – e não fica com a corda no pescoço preocupado com dívidas. “Simplificar processos e melhorar a gestão traz resultado imediato. Os benefícios são diferentes em cada propriedade, a depender do status de gestão em que ela se encontra”, afirma o especialista.

3. Processos e automação

Para melhorar a gestão, o produtor deve entender o histórico de produção da fazenda e as necessidades para buscar melhorias que promovam um crescimento economicamente viável e sustentável do negócio. “Precisamos analisar todos os processos e identificar os pontos-chave para a conversão. Cada fazenda é diferente, analisamos as características e qual é o ponto ótimo da propriedade”, explica Lagemann. A partir desta análise, é possível traçar estratégias para o controle de fluxo e gestão de caixa. “O nosso papel é colocar todas essas informações em cima da mesa e o sistema entra como uma peça de quebra-cabeças para organização de tudo”, diz o especialista.

4. Pessoas

Muito se diz que falta mão de obra no campo e, obviamente, isso prejudica os resultados da fazenda. Por isso, é fundamental investir em treinamentos e capacitação dos funcionários de modo que eles estejam preparados para desempenhar suas funções. Segundo Lagemann, a tecnologia facilita o trabalho dos funcionários, mas não resolve tudo como num passe de mágica. “Não adianta apenas investir no sistema e esquecer as pessoas, porque aí o produtor terá uma bagunça informatizada. O sistema deve ser alimentado com dados e, por isso, precisamos alinhar pessoas capacitadas e processos claros”, explica Lagemann. “Identificamos as habilidades dos funcionários e capacitamos sobre o software e a metodologia de gestão. Organizamos o fluxo de trabalho deles e o sistema entra no dia a dia dessas pessoas como uma ferramenta de trabalho. Em um primeiro momento os funcionários podem ficar assustados, mas depois enxergam essa tecnologia como um grande benefício.”

5. Sistemas, organização e boas decisões

Com o histórico de todas as informações armazenadas no sistema, o produtor pode trabalhar em conjunto com contadores e outros profissionais para investir em planejamento tributário e melhorias de manejo, com foco em elevar ainda mais a régua de gestão da propriedade rural. “O objetivo do sistema é proporcionar uma tomada de gestão menos intuitiva e com informações qualificadas e reais da fazenda. Lançando uma nota fiscal de forma automática, por exemplo, o produtor não tem chance de cometer erros. Como o sistema envia e-mails todos os dias avisando sobre contas que o produtor tem para receber e a pagar, isso contribui na organização do departamento financeiro”, explica Lagemann.

Além disso, outro benefício é a comodidade de ter mais tempo livre, por contar com um sistema informatizado que facilita a entrada das informações de forma automatizada. “Com a tecnologia, o produtor vai ganhar tempo para analisar os dados que o sistema fornece e se dedicar a outras atividades. O sistema gera um raio-x da propriedade, o produtor vai saber onde estão os problemas e baseado nisso pode tomar melhores decisões”, diz o CEO da Connectere Marcelo Lagemann.

Com informações de Connectere

Original de https://www.redeagroservices.com.br/noticias/gestao-producao-fazenda