Veja os impactos do Esparavão Ósseo para os equinos

Compartilhe

Patologia afeta as articulações dos equinos impactando o bem-estar animal e gerando queda no desempenho

Os cavalos atletas demandam cuidados constantes com o aparelho locomotor. A região, composta por ossos, músculos, articulações e cascos, está sujeita a uma série de lesões, por conta do esforço e dos  movimentos exigidos para execução das atividades esportivas.

<\/div>

Entre algumas das patologias, que podem atingir esses animais, está o Esparavão Ósseo. A doença afeta a articulação tarso-metatarsiana dos membros dos equinos, causando desconforto, dor e, consequentemente, queda no desempenho do animal.

“Essa enfermidade caracteriza-se por um processo de degeneração crônica que afeta a cartilagem, juntamente com os tecidos que compõem a articulação do equino. É uma lesão bastante dolorida que costuma ser mais frequente em animais adultos”, explica a médica-veterinária e gerente de linha de produtos para equinos da Ceva Baity Leal.

Entre as principais causas para o surgimento da patologia  está o estresse mecânico e repetitivo sobre a articulação do jarrete ou a carga excessiva de exercício.

“As recorrentes rotações dos ossos do tarso, associadas à hipertensão dos ligamentos presentes na articulação, são os fatores mais importantes no desenvolvimento do Esparavão ósseo”, detalha Baity

Os animais afetados pela doença comumente apresentam claudicação leve e progressiva, que pode ser  unilateral ou bilateral.

Em alguns casos a lesão pode evoluir para a perda total da cartilagem. Além disso, é possível observar maior nível de estresse e resistência do equino para realizar exercícios comuns a sua rotina.

“O equino com uma lesão na região locomotora mostra sinais clássicos. O principal é a redução de performance, que pode ocorrer de maneira súbita. A dor em alguns casos não é evidente. Por isso, o criador precisa ficar alerta a qualquer mudança comportamental apresentada pelo animal” , explica Baity

O diagnóstico da lesão engloba a realização de anamnese, a avaliação clínica do sistema locomotor, incluindo inspeção das articulações, e a realização de exames de imagem, como raio X, ultrassom e ressonância magnética,  que serão responsáveis por identificar qual o tipo e grau da lesão apresentada pelo equino.

“O primeiro passo é a avaliação cuidadosa do cavalo. Nesse teste físico, será possível detectar aumentos de volumes anormais, atrofia muscular, deformidades, presença de cavidades ou fístulas, cicatrizes e posturas não convencionais, como por exemplo, quando o equino repousa um casco a frente do outro no chão”, afirma Baity.

O tratamento do esparavão ósseo, que deverá ser indicado por um médico-veterinário, está diretamente associado a gravidade das lesões apresentadas pelo cavalo, podendo englobar repouso,  ferraduras corretivas, fisioterapia  e uso de medicamentos.

Sempre em busca de soluções que auxiliem na manutenção do bem-estar animal, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o Tildren®, único bifosfonato aprovado em equinos de alta performance para tratamento das dores e inflamações ósseas.

O medicamento terapêutico é recomendado para o tratamento das claudicações associadas às alterações ósseas comumente observadas no Esparavão.

“O Tildren® auxilia na recuperação dos cavalos, garantindo o bem-estar do animal e permitindo a rápida retomada as atividades esportivas”, finaliza Baity.

A Ceva Saúde Animal é uma multinacional francesa, comprometida com o desenvolvimento de produtos inovadores para o mercado de saúde animal. Líder nacional em produtos para saúde equestre, a Ceva conta com o maior portfólio de medicamentos para equinos. A empresa também oferece produtos farmacêuticos e biológicos para pets, bovinos, suínos e aves. Com faturamento global de € 1,2 bilhão, a Ceva está presente em mais de 110 países e é a quinta maior indústria de produtos para saúde animal do país. Mais informações em: www.ceva.com.br